Esqueça a depilação, o cabelo ressequido, acne,menstruação, celulite ou a menopausa. Ser Mulher é muito bom, e você devia sera primeira a orgulhar-se disso. Sabe porque é que é tão bom ser Mulher...
Sábado, 26 de Março de 2011
Entrevista a Duma Arantes, pintora...
 
 
*Duma, como descobriu o gosto pela pintura?
 
O desenho e a pintura sempre estiveram presentes na minha vida, desde muito cedo.
Em criança, passava horas no meu quarto a desenhar. Era algo que me absorvia completamente. Adorava criar bonecas e flores… e ainda hoje as minhas bonecas têm esse sabor, enquanto pinto é como se estivesse absorvida numa brincadeira. É o trabalho mais feliz que poderia ter. Julgo que é muito bom podermos fazer profissionalmente o que sempre nos deu prazer desde crianças.. acho que é isso que se chama vocação!
Mais tarde experimentei novos materiais e novas possibilidades e estudei desenho e pintura.
Um dia ofereceram-me uma caixa com óleos e foi amor à primeira vista, nunca mais nos separámos!
Comecei a expor há cerca de 17 anos e nunca mais parei!
 
*Qual a sensação de olhar para uma tela em branco? E depois voltar a olhar e ver a obra terminada?
 
No momento em que inicio uma tela, já houve um grande trabalho anterior de fotografia, pesquisa e estudo da imagem, enquadramento, divisão de luz e sombras, etc.
O meu trabalho é bastante planeado e quando desenho uma tela já tenho em mente tudo o que quero fazer. Claro que é fascinante ver a figura a nascer, a tomar forma e cor, mas para ser terminada, passa por um longo processo de camadas de tinta e precisão a nível técnico. É uma sensação óptima vê-la terminada! :-)
 
*Porquê as suas obras nunca têm o rosto completo? Qual a razão ?
 
Represento retratos de mulheres, mas não um retrato convencional. Quero mostrar a ideia de feminilidade sem mostrar uma identidade específica, não quero que seja alguém existente, são apenas mulheres. Gosto de dar a possibilidade ao espectador, de poder criar a sua própria personagem ou história à volta da personagem. Consoante a experiência e personalidade de cada pessoa, é criada uma figura única para cada um. As minhas mulheres ganham vidas diferentes para cada pessoa consoante aquilo que imaginam e considero isso muito interessante, pois as pessoas envolvem-se na obra, passam a fazer parte dela.
 
*As suas obras têm sempre lábios e mãos alguma razão ?
 
Simplesmente porque são retratos e gosto de representar rostos, mas por serem cortados, os lábios ganham um ênfase ainda maior. Os lábios e as mãos são de uma expressividade enorme e apesar de não vermos os olhos, é quase como se eles estivessem lá a observar-nos, a expressão continua lá.
Nem todas as telas mostram as mãos, mas gosto do movimento que elas proporcionam à composição e do que elas nos podem transmitir.
 
*Acha que o mistério faz parte das suas peças?
 
O mistério é uma das maiores características do meu trabalho.
Como já mencionei acima, é esse mistério que provoca a imaginação do espectador e que cria uma maior envolvência de cada pessoa com a obra.
Gosto de colocar as personagens num ambiente quase minimal, com fundos lisos, sem referência de nenhum lugar ou acontecimento.
A obra completa-se nos olhos e mente de cada espectador.
 
*Nas suas obras as mulheres tem sempre muitos detalhes femininos lábios, unhas e o cabelo é essa a sua imagem que marca?
 
A feminilidade é o tema do meu trabalho e portanto tudo o que a representa na mulher é algo que eu gosto de explorar e apresentar.
No entanto, aquilo que considero imagem de marca é a forma como trabalho as sombras e luz, como se fossem ilustrações feitas por vectores, em computador, provocando também assim a ideia de uma mulher virtual, que existe de forma diferente para cada um e também as barras negras, provocando uma ideia de filme, cinemascópio, como se cada tela fosse um frame de uma cena.
 
*Como definiria as mulheres das suas obras?
 
Acho que seria mais interessante saber como é que o público definiria as minhas personagens, pois cada pessoa vê características diferentes.
Para mim elas podem representar uma mulher frágil, mas forte; contemporânea ou clássica; atrevida, coquete ou envergonhada, misteriosa, confiante, enfim… são as várias facetas femininas representadas pela tinta.
 
*Onde vai buscar inspiração para pintar?
 
Inspiro-me em muitas coisas diferentes. Tudo aquilo que eu gosto e que me interesso pode influenciar o meu trabalho. Toda a minha experiência e vivência contribui para o resultado final.
Tenho uma grande influência da ilustração, do design gráfico, da fotografia, da moda, da música, da publicidade.. enfim, até uma conversa com alguém ou apenas observar as pessoas, podem inspirar. Também o facto de eu própria ser mulher.
 
*Sente-se uma mulher realizada?
 
Sinto-me uma mulher muito feliz com aquilo que faço. Faço profissionalmente o que mais gosto e isso é uma grande benção. Sinto-me agradecida por isso.
Ainda tenho muito chão pela frente, muita coisa nova para fazer e muito para descobrir, mas o que interessa é que tire de cada nova experiência uma alegria e um conhecimento que me ajude na experiência seguinte.
 
*Onde podemos ver os seus trabalhos além da Internet ?
 
Sou representada em Portugal, pelas galerias São Mamede (Lisboa e Porto), Galeria Nuno Sacramento Arte Contemporânea (Aveiro), Galeria “O Rastro” (Figueira da Foz) e pela Private Gallery (Lisboa)
Em Singapura e Malásia pela Ode to Art Gallery.
Na internet podem consultar o meu site: www.dumaarte.com e o meu blog: www.duma-artecontemporanea.blogspot.com
 
*Qual o impacto do público com o seu trabalho?
 
Felizmente tem sido bastante positivo. As pessoas identificam-se muito com a feminilidade e pequenos pormenores apresentados.
Creio que a minha pintura cria um impacto de cor e contraste pelo qual muitos se sentem atraídos.
Sempre que possível gosto de ouvir as opiniões e as histórias criadas por cada um, pois são sempre uma surpresa agradável e inesperada.
 
*Estamos no mês da mulher quer deixar alguma palavra ás mulheres ?
 
Que sejam felizes, criativas, que dêem amor, que sejam confiantes e que mostrem o que de melhor têm dentro!
 
*Algum projecto para próximo?
 
Depois do grande projecto e sonho realizado que foi a edição do meu primeiro livro: “Duma – Frame by Frame”, com lançamento em Dezembro passado, estou há cerca de 6 meses a trabalhar para a próxima exposição individual que irá inaugurar no dia 24 de Março, na Galeria São Mamede, em Lisboa e onde terei expostos 19 trabalhos.
Estão desde já todos convidados! :-)
 
Entrevista: Duma Arantes
 
autora: Gina Pires


publicado por mundomulher1 às 22:18
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

15
17
18
19

20
21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


posts recentes

Entrevista a Duma Arantes...

Perda Gestacional – Visão...

BASTA

Maquilhagem: pinceis

Maquilhagem: bases

Preto e Branco

SOU MULHER

História do Dia Internaci...

A selecção dos sexos

As Mulheres e o Samba

MULHER OUSADA

Nao abandones....amanhã s...

RECUPERAR PEN DRIVE

A VIOLENCIA NOS IDOSOS

Quando as vítimas são ele...

Vacinação pode travar ris...

Nasceu bebé medicamento

Os homens tambem sofrem d...

Tendências de moda femini...

Dieta do ananás

free counters
quem esta cá
quem nós visitou

VISITOR COUNTER | casino club | FX | city club | Casinoswiss
blogs SAPO